51º Congresso da Sober – Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural Inscreva-se Envio de Trabalhos

  • 51º Congresso da SOBER

  • 51º Congresso da SOBER

  • 51º Congresso da SOBER

Palavra do Presidente

MENSAGEM DO PRESIDENTE DA SOBER

 

Prezados Soberianos,

 

O Brasil é um jovem país com enorme potencial em múltiplos setores econômicos, dentre os quais se destaca a agropecuária. De país do futuro nos tornamos uma economia emergente nos anos iniciais do século XXI. Talvez por nossa juventude, ainda estamos nos prolegômenos dos ajustes estruturais necessários à formação de uma sólida base produtiva e tecnológica que permita o uso de nossos recursos de forma inteligente e sustentável, com parcimônia e zelo.

A agricultura e o mundo rural do Brasil enfrentam novos reptos. Cada vez mais, é preciso buscar formas de uso dos recursos produtivos (terra, trabalho e capital) que atentem para promoção do desenvolvimento rural com crescimento e equidade. Para isto, precisamos lançar mão do que há de melhor em conhecimento e inovação, de tal sorte que junto com os avanços econômicos e tecnológicos alcancemos a superação das desigualdades sociais sem comprometer a biodiversidade.

A realização do 51º Congresso da SOBER em Belém do Pará, sob o tema  NOVAS FRONTEIRAS  DA AGROPECUÁRIA NO BRASIL E NA AMAZÔNIA: desafios da sustentabilidade, expressa a preocupação dos cientistas sociais rurais do Brasil com a urgente questão das relações entres processos de desenvolvimento e seus impactos, notadamente ambientais e sociais, em uma região sensível e estratégica do globo terrestre.

O uso e manejo de recursos naturais na região amazônica é um tema central na estratégia de desenvolvimento do Brasil. Mas há enormes desafios e paradoxos a serem enfrentados. Os debates em torno do Código Florestal não deixam dúvidas de que o tema escolhido pela SOBER para o seu 51º Congresso no Pará é controvertido e mobiliza forças políticas, sociais e econômicas dos mais diversos matizes.

Os pesquisadores, cientistas, empreendedores e formuladores de políticas públicas estão convocados a dar a sua contribuição a este debate. Afinal, ainda que existam questões muito específicas e particularidades em relação ao papel e ao lugar da agropecuária na Amazônia, não há como desconhecer que os desafios da sustentabilidade afetam e preocupam todo tipo de agente do Brasil rural, quer seja ele agricultor familiar ou grande produtor, uma empresa privada ou órgão público.

Estamos convictos que realizar o 51º Congresso da SOBER nas dependências da Universidade Federal do Pará, entre 21 a 24 de Julho de 2013, será um momento propício para estimular estes debates. Contamos com uma Coordenação da Comissão Local que esta a cargo da Profa. Dra. Gisalda Carvalho Filgueiras e dos colegas de vários Programas de Pós-Graduação da UFPA, assim como instituições de pesquisa, ensino e de outra natureza do Estado do Pará e da região Norte que estão se envolvendo nesta empreitada.

Fiel ao seu papel de promover discussões e análises sobre a realidade social brasileira, a SOBER abre espaço para que os cientistas, formuladores de políticas, mediadores públicos e privados, assim como instituições de pesquisa e tecnologia, possam refletir sobre as novas fronteiras da agropecuária na região amazônica. Nosso 51º Congresso pretende ser o esteio de debates e retumbar resultados de pesquisa, avanços teóricos e metodológicos que possam ajudar a sociedade a construir formas de produção e trabalho no meio rural que sejam ambientalmente sustentáveis, socialmente resilientes e economicamente competitivas.

            Em nome da Diretoria e do Comitê Organizador Local do 51º Congresso da SOBER, convoco todos os sócios e demais interessados para estarem na bela cidade de Belém do Pará, com seus múltiplos atrativos, para celebrarmos mais um Congresso científico.

 

Cordiais saudações,

Sergio Schneider – presidente da SOBER

Patrocinadores:
  • Patrocinadores