Grupos de Trabalhos

Grupos de Trabalho
56º Congresso da SOBER

GT1. Mercados Agrícolas e Comércio Exterior
Titular: Alexandre
 Almeida (ESALQ/USP)
Adjunto:
 Cassiano Bragagnolo (UFSCAR)

Email: gt01.sober@gmail.com

Neste grupo busca-se analisar os diferentes mercados domésticos dos produtos agropecuários, contemplando estudos de oferta e demanda; custos; preços ao produtor e ao consumidor, além de estudos que discutem as estruturas dos mercados agropecuários, incluindo análises relacionadas à mensuração de elasticidades de transmissão de preços e margens de comercialização; análise das formas de comercialização agropecuária, das flutuações nas condições de mercado e de seus impactos sobre oscilações de preços; além do papel dos instrumentos de gerenciamento de riscos, incluindo mercados de futuros e políticas de comercialização. Da mesma forma, cabem estudos sobre o comércio internacional dos produtos agropecuários, englobando abordagens de naturezas diversas, seja com base microeconômica, macroeconômica ou de economia política de comércio. Podem ser inseridos neste tópico trabalhos que considerem as peculiaridades do comércio internacional de produtos agropecuários no tratamento de aspectos variados, com destaque para os acordos comerciais internacionais e regionais; barreiras tarifárias e não tarifárias; papel das multinacionais no comércio internacional; políticas cambiais; termos de troca.

Palavras-chave: Demanda e Oferta; Estruturas de mercados agropecuários; Transmissão de preços; Comércio externo; Política cambial; Barreiras tarifárias e não tarifárias; Negociações internacionais.

 

GT2. Instituições, governança e gestão do agronegócio
Titular: Mamadu
 Lamarana Bari (UFMT)
Adjunto:
 Guilherme Jacob Miqueleto (UFMT)

Email: gt02.sober@gmail.com

A orientação básica desta área é para pesquisas sobre as organizações e instituições rurais e urbanas que atuam no agronegócio, estruturas de governança e processos organizacionais, estratégias mercadológicas e comportamento do consumidor, gestão do conhecimento, coordenação do processo de interação de agentes e organizações, economia de empresas, finanças empresariais e mecanismos de decisão.

Palavras-chave: Organizações. Agronegócio. Gestão do conhecimento. Economia de empresas. Finanças empresariais. Comercialização e marketing. Coordenação. Custos. Competitividade. Planejamento.

 

GT3. Evolução, estrutura e dinâmica dos complexos agroindustriais
Titular: Carlos Eduardo de Freitas Vian (ESALQ/USP)
Adjunto: Joaquim Bento de Souza Ferreira Filho (ESALQ/USP)

Email: gt03.sober@gmail.com

Complexo Agroindustrial é entendido aqui como o encadeamento de operações técnicas, comerciais e logísticas, que permite que uma matéria-prima de origem agropecuária seja produzida, transformada e comercializada com segurança e qualidade. Deve-se destacar também que este processo produtivo está inserido em um dado contexto institucional e tecnológico que condicionam a sua dinâmica no tempo e espaço. A partir desta definição, este grupo de trabalho tem por objetivo analisar a evolução dos Complexos Agroindustriais no Brasil, debatendo os determinantes da mudança no padrão produtivo, modernização tecnológica, geração de emprego, organização e regionalização da produção e suas relações com as Políticas Industrial e Macroeconômicas. Nesse sentido, os textos a serem enviados neste grupo envolvem análises da competitividade dos complexos e seus impactos na oferta e demanda agropecuária, das modificações no uso da terra e no tamanho das propriedades, dos determinantes da adoção de tecnologia e da evolução da produtividade, da evolução, disponibilidade e metodologia das fontes de estatísticas rurais, agropecuárias e agroindustriais.

Palavras-chave: modernização; oferta e demanda; políticas públicas para a agropecuária; estrutura agrária e agrícola; regionalização da produção; arranjos produtivos, estatísticas rurais e agropecuárias, produtividade, escala de produção.

 

GT4. Questão ambiental, agroecologia e sustentabilidade
Titular: Márcia Cristina Silva Paixão (UFPB)
Adjunto: Regina Aparecida Leite de Camargo (FCAV/UNESP)

Email: gt04.sober@gmail.com

Este Grupo de Trabalho contempla estudos e pesquisas voltadas para os impactos socioambientais da atividade agropecuária. Entre os principais tópicos enfocados estão: desenvolvimento sustentável; políticas públicas para o meio-ambiente; pagamento por serviços ambientais; sustentabilidade da agricultura; impactos dos agrotóxicos e dos transgênicos; estratégias de conservação dos recursos naturais; agroecologia; gestão socioambiental; florestas e desmatamento; reflorestamento e sequestro de carbono; créditos de carbono; impactos das mudanças climáticas na agricultura. Focaliza-se também a cadeia produtiva da agroenergia e dos biocombustíveis.

Palavras-chave: Desenvolvimento sustentável. Políticas públicas ambientais. Sustentabilidade da agricultura. Conservação de recursos naturais. Pagamento por serviços ambientais. Agroecologia. Gestão socioambiental. Transgênicos. Reflorestamento. Sequestro de carbono. Agricultura e mudanças climáticas. Agroenergia.

 

GT5. Agricultura familiar e ruralidades
Titular: Valdemar João Wesz Junior (UNILA)
Adjunto: Armando Fornazier (UnB)

Email: gt05.sober@gmail.com

Este Grupo recebe trabalhos que focalizam os processos de transformação social, econômica e cultural que afetam o espaço rural brasileiro contemporâneo, dando especial atenção aos seus efeitos sobre as formas familiares de trabalho e produção. Focalizam-se aspectos socioeconômicos, político-culturais, de organização do trabalho, da produção e da gestão. Os temas prioritários a serem considerados são: agricultura familiar e campesinato: aspectos conceituais e teóricos. Agricultura familiar e mudanças sociotécnicas, como inovação e empreendedorismo. A multifuncionalidade do espaço rural. Os processos de diversificação socioeconômicos e os sistemas de produção. Estratificação e diferenciação social. A agricultura familiar e os processos de mercantilização social e econômica. As relações dos agricultores familiares com o sistema agroalimentar, os processos de integração e exclusão social. Formas de resistência e estratégias de reação dos agricultores. A inserção dos agricultores nos mercados de produtos e de trabalho. As mudanças no perfil ocupacional dos espaços rurais. O papel da pluriatividade e das atividades não agrícolas na reprodução da agricultura familiar. A agricultura familiar e a questão da sustentabilidade ambiental. Os agricultores familiares e a política: as organizações sindicais, associativas e a relação com o Estado. Os agricultores familiares e as políticas públicas. O grupo privilegiará a seleção de trabalhos empíricos e teóricos analisados segundo as referências bibliográficas e os procedimentos metodológicos disponíveis.

Palavras-chave: Agricultura familiar e campesinato. Empreendedorismo. Inovação. Multifuncionalidade. Pluriatividade. Diversificação socioeconômica. Relações contratuais. Integração e exclusão. Políticas públicas para a agricultura familiar. Diversificação produtiva.

 

GT6. Cooperativismo, associativismo e outras formas de ação coletiva
Titular: Alair Ferreira de Freitas (UFV)
Adjunto: Gabriel Murad Velloso Ferreira (UFSM)

Email: gt06.sober@gmail.com

A presente linha enfatiza o conjunto de estudos sobre o cooperativismo e associativismo no desenvolvimento econômico e social no meio rural. Sob esse enfoque se destacam os estudos sobre as cooperativas, associações, empreendimentos de economia solidária, condomínios e outras formas de ação coletiva no meio rural. O processo de gestão destas organizações, o papel do Estado e as políticas públicas que incidem sobre elas, a formação de redes interorganizacionais, os impactos do cooperativismo e associativismo no desenvolvimento local e outras temáticas relacionadas à cooperação com fins econômicos no meio rural são de interesse direto deste Grupo de Trabalho.

Palavras-chave: Cooperativismo. Associativismo. Economia solidária. Governança. Organizações. Redes. Capital social. Ação Coletiva.

 

GT7. Desenvolvimento rural, territorial e regional
Titular: Naisy Silva Soares (UESC)
Adjunto: Kilmer Coelho Campos (UFC)

Email: gt07.sober@gmail.com

O Grupo identifica-se com o que hoje se denomina “abordagem territorial do processo de desenvolvimento”, entendida como marco teórico e epistemológico específico que surge a partir do esforço no sentido de suplantar as limitações da concepção setorial que, convencionalmente, tem orientado a percepção do espaço onde se desenvolve a produção agropecuária nas sociedades modernas. Sob sua égide, se reconhece os diferentes locus de relações e processos sociais, econômicos, políticos e culturais.

Palavras-chave: Desenvolvimento rural. Desenvolvimento territorial. Desenvolvimento regional. Políticas de desenvolvimento. Turismo rural. Políticas locais para o campo.

 

GT8. Pesquisa, inovação e extensão rural
Titular: Dimas Soares Junior (IAPAR)
Adjunto: Norma Kiyota (IAPAR)

Email: gt08.sober@gmail.com

Este Grupo de Trabalho receberá contribuições voltadas para a pesquisa, desenvolvimento de tecnologias, inovação e extensão rural. Os principais tópicos incentivados são: tecnologias e desenvolvimento sustentável; evolução das políticas públicas e do financiamento da inovação tecnológica agrícola; evolução de tecnologias (produtivas, de gestão e sociais) e sua relação com as condições de vida no meio rural; evolução e impactos de novas tecnologias (tecnologias de informação e comunicação, mecanização por computação, transgenia, outras biotecnologias); promoção de tecnologias para sistemas alternativos (ex.: agroecologia, integração lavoura-pecuária-floresta, reações da pesquisa e inovação diante das variações climáticas); papel da assistência técnica e extensão rural; políticas públicas de financiamento e modelos institucionais de extensão rural; ensino e formação em extensão rural; formação e capacitação de agricultores; metodologias da ação extensionista e pluralismo institucional; interfaces entre pesquisa, inovação e extensão rural; experiências de sucesso e barreiras à difusão tecnológica na extensão rural.

Palavras-chave: Tecnologias e inovação na agricultura. Políticas públicas de inovação e de extensão rural. Pesquisa e tecnologias em sistemas alternativos. Financiamento à pesquisa e inovações na agropecuária. Financiamento da extensão rural. Tecnologias e sustentabilidade na agropecuária.

 

GT9. Questão agrária, governança de terras, políticas agrárias e assentamentos rurais
Titular: Bastiaan Philip Reydon (IE/UNICAMP)
Adjunto: Sebastião Guedes (FCLAR/UNESP)

Email: gt09.sober@gmail.com

Os debates clássicos da questão agrária brasileira recorrentemente são repostos, independentemente das distintas análises que são feitas sobre o tema. Uma boa parte disto decorre da histórica débil Governança de Terras no país, isto é um frágil quadro institucional e legal que gera insegurança jurídica e especulação com terras. Disto decorre os conflitos fundiários e a grande concentração da propriedade da terra no pais. Alguns apontam na direção de que a reforma agrária seja a grande solução, merecendo discussões, tanto pelos grupos favoráveis como por aqueles contrários a sua realização. Além desses pontos gerais, este Grupo de Trabalho debate também o processo de constituição, a efetividade e os impactos das políticas agrárias e dos assentamentos rurais na perspectiva de mudanças nos rumos do desenvolvimento rural brasileiro. Deve-se destacar também o papel dos diversos segmentos e movimentos sociais neste processo, assim como a participação e/ou omissão das diferentes instâncias do poder público.

Palavras-chave: Governança de terras, administração fundiária, questão agrária, reforma agrária, política agrária, assentamentos rurais, produção, participação social, movimentos sociais agrários.

 

GT10. Trabalho, emprego e ocupações rurais
Titular: Carlos Alves do Nascimento (UFU)
Adjunto: Joacir Rufino Aquino (UERN)

Email: gt10.sober@gmail.com

No âmbito geral, o mundo do trabalho vem sofrendo profundas transformações para atender aos novos desafios de estruturas produtivas cada vez mais globalizadas. Esse processo também está em curso no campo, causando efeitos sobre as atividades agrícolas e em outros segmentos da vida social. Nesse contexto, visando avançar no conhecimento sobre a temática, esse Grupo de Trabalho (GT) receberá submissões de artigos que procurem debater os contornos atuais do mercado de trabalho assalariado e as diferentes formas de ocupação agrícola e não-agrícola da população residente nas áreas rurais, bem como estudos que busquem dimensionar quantitativamente e qualitativamente o papel do espaço rural na geração de emprego no limiar do século XXI. Além disso, esse GT também pretende receber contribuições que abordem os seguintes aspectos específicos referentes ao tema: i) relações de trabalho que ultrapassam em suas manifestações o domínio das relações capitalistas de assalariamento (trabalho familiar, comunitário etc.); ii) legislação e direitos trabalhistas no campo; iii) estrutura do assalariamento (setorial, formal/informal, precarização, rendimentos, etc.); iv) desigualdades no mercado de trabalho (por gênero, cor, faixa etária, etc.); e v) condições de trabalho e saúde do trabalhador.

Palavras-chave: transformações nos processos de trabalho; trabalho assalariado e não-assalariado na agricultura; emprego agrícola; ocupações agrícolas e não-agrícolas; pluriatividade; trabalho feminino; legislação trabalhista; trabalho decente no campo.

 

GT11. Abastecimento, segurança alimentar e nutricional e dinâmicas de consumo
Titular: Silvia Zimmermann (UNILA)
Adjunto: Karina Kato (CPDA/UFRRJ)

Email: gt11.sober@gmail.com

Discutirá trabalhos que se propõem a analisar a relação entre o abastecimento alimentar, a soberania e a segurança alimentar e nutricional e as dinâmicas de consumo contemporâneas. Ao recolocarem no cenário contemporâneo a relação produção-consumo, essas iniciativas em torno da soberania e segurança alimentar contribuem para renovar, ressignificar e redimensionar as delimitações – e as formas de relacionamento entre – de rural e urbano, favorecendo o surgimento de novas ruralidades e o rearranjo de suas fronteiras reais e simbólicas. O GT busca estimular o debate em torno de experiências que contribuem para a problematização e para o avanço no entendimento: de aspectos teórico-conceituais e históricos que determinam diferentes arranjos de abastecimento alimentar suas relações com a soberania e a segurança alimentar e nutricional, da emergência de novos sistemas agroalimentares locais e das tensões com influências internacionais, da ocorrência de crises nos mercados de alimentos e novas estratégias de enfrentamento acionadas por diferentes grupos sociais, das iniciativas de fortalecimento de circuitos curtos de produção e consumo, das estratégias de garantia da soberania e segurança alimentar e nutricional empregadas pelas famílias, das dinâmicas da circulação alimentar e da renda para aquisição de produtos alimentares, da construção de políticas públicas de abastecimento alimentar e de garantia da segurança alimentar e nutricional, da atuação de organizações sociais em prol de dinâmicas virtuosas de abastecimento e de estímulo à soberania e à segurança alimentar e nutricional, de iniciativas de estímulo à produção agrícola nas áreas urbanas, de criação de novos mercados alimentares e de estabelecimento de (novas) dinâmicas de consumo. Buscaremos enfatizar as relações, normalmente tensas, mas fluidas, entre múltiplas escalas (local, estadual, regional, nacional, internacional, global) no sistema agroalimentar e a centralidade do acesso à terra e aos recursos naturais (sementes, água, biodiversidade etc.) na realização da soberania e da segurança alimentar e nutricional.  O GT partirá de uma leitura da soberania e da soberania e segurança alimentar e nutricional que reconhece e prioriza o acesso, o uso, a disponibilidade e a estabilidade na relação com os alimentos, mas que valoriza o direito dos povos em definirem, com autonomia, o que produzir, para quem produzir e em que condições se dará essa produção. Serão priorizados trabalhos que procuram avançar no diálogo teórico-empírico, se esforçando para contribuir com o avanço dos debates teóricos a partir da análise da realidade concreta e de experiências empíricas.

Palavras-chave: Abastecimento alimentar. Soberania e segurança alimentar e nutricional. Dinâmicas de consumo. Circuitos alimentares. Dinâmicas alimentares urbanas e rurais. Sistemas agroalimentares. Crises alimentares. Mercados de alimentos. Formas de acesso aos alimentos. Políticas públicas para abastecimento e segurança alimentar e nutricional.

 

GT12. Política agrícola e políticas públicas de desenvolvimento rural
Titular: Catia Grisa (UFRGS)
Adjunto: Mario Lúcio de Avila (UnB)

Email: gt12.sober@gmail.com

Este grupo recebe trabalhos que abordam as diferentes fases do ciclo das políticas agrícolas e de desenvolvimento rural. São temas de interesse: problemáticas e questões presentes na agenda da sociedade e o modo como estes temas entram na agenda governamental; o processo de construção das políticas públicas, incorporando questões relativas à participação da sociedade civil, a atuação dos movimentos sociais e organizações/grupos de interesse, a qualidade da burocracia governamental, e as interfaces entre Estado e academia; os desenhos de diferentes instrumentos e programas de política agrícola e desenvolvimento rural acionados pelo Estado (crédito rural, seguro agrícola, políticas de comercialização, mercados institucionais etc.); a implementação de tais iniciativas, considerando seus desempenhos, resultados, limitações e desafios. Também interessa abordar a emergência e resultados dos diferentes espaços de participação social e diálogos entre Estado e Sociedade Civil. Ademais, o Grupo de Trabalho procura abordar reflexões teórico metodológicas sobre abordagens de análise e de avaliação de políticas agrícolas e de desenvolvimento rural.

Palavras-chave: Estado, políticas públicas, sociedade civil, movimentos sociais, políticas agrícolas, desenvolvimento rural.

 

GT13. Temas emergentes no agronegócio
Titular: Erlaine Binotto (UFGD)
Adjunto: Mayra Batista Bitencourt Fagundes (UFMS)

Email: gt13.sober@gmail.com

Este grupo recebe trabalhos que focalizam os estudos voltados às inovações e tecnologias presentes no contexto dos agronegócios, dando ênfase a utilização de big data, agtech (empresas de tecnologia aplicadas ao agronegócio), startup, nanotecnologias, tecnologias de informação e comunicação, sistemas integrados de informação ligados as cadeias produtivas.  Essas tecnologias podem estar relacionadas a produção e/ou gerenciamento dos negócios.

Palavras-chave: Tecnologias, sistemas de informação, big data, gestão da informação.

Compartilhar com