Mensagem do presidente

VEM AÍ O 57º CONGRESSO DA SOBER

O 57º Congresso da SOBER será realizado na cidade de Ilhéus (BA) entre os dias 21 e 25 de julho de 2019. O tema geral do evento procurará articular os debates sobre Agricultura, Alimentação e Desenvolvimento, uma vez que a fome e a desnutrição continuam afetando milhares de pessoas no mundo e, particularmente, no Brasil.

Em setembro de 2000, durante a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), foi assumido o compromisso por 189 chefes de Estados de reduzir os percentuais de fome e de pobreza pela metade até o ano de 2015, naquilo que ficou conhecido como os “Objetivos do Milênio”. Segundo diversos relatórios da própria ONU, houve muitos progressos em relação às metas instituídas, porém ainda permanecem grandes desigualdades entre as nações e internamente a estas, principalmente entre as áreas rurais e áreas urbanas.

Em função disso, durante a Assembleia da ONU realizada em setembro de 2015 foram estabelecidos, à luz do legado do ODM, os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), com 169 metas a serem atingidas por todos os signatários até o ano de 2030, naquilo que ficou conhecido como a “Agenda 2030”. Dentre esses objetivos, destacamos dois deles: 1) Acabar com a pobreza em todas as suas formas e em todos os lugares; 2) Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável. Dentre as diversas metas desses objetivos constam: até 2030 acabar com a fome e garantir o acesso de todas as pessoas, em particular dos pobres e pessoas em situações vulneráveis, a alimentos seguros, nutritivos e suficientes durante todo o ano; até 2030, dobrar a produtividade agrícola e a renda dos pequenos produtores de alimentos, particularmente das mulheres, povos indígenas, agricultores familiares, pastores e pescadores, inclusive por meio de acesso seguro e igual à terra, outros recursos produtivos e insumos, conhecimento, serviços financeiros, mercados e oportunidades de agregação de valor e de emprego não agrícola; até 2030 garantir sistemas sustentáveis de produção de alimentos e implementar práticas agrícolas resilientes que aumentem a produtividade e a produção, que ajudem a manter os ecossistemas, que fortaleçam a capacidade de adaptação às mudanças climáticas, às condições meteorológicas extremas, secas, inundações e outros desastres, e que melhorem progressivamente a qualidade da terra e do solo.

Diante desses pressupostos mundiais orientados pela ONU, entendemos que é cada vez mais premente a necessidade de uma melhor reconexão entre a agricultura e as cadeias alimentares no sentido de se promover a soberania alimentar, bem como o atendimento das necessidades sociais da população. Nesta direção é que precisam ser intensificadas as discussões e os debates sobre as interfaces entre Agricultura e Alimentação na perspectiva de melhorar os rumos do Desenvolvimento.

Assim, espera-se que os três temas articuladores e pilares centrais de todos os debates consigam explorar bem as conexões entre os diversos subtemas, com destaque para os debates sobre sistemas agroalimentares sustentáveis; cadeias globais, políticas e mercados alimentares; novas práticas de consumo e desafios para a produção agroalimentar; maiores proximidades entre as áreas rurais e urbanas; promoção de práticas de inclusão produtiva e social sustentáveis; etc. Desta maneira, pretende-se que tais temas consigam compor o mosaico maior que congregue as preocupações e os interesses do conjunto de pesquisadores e estudiosos do mundo rural brasileiro.

Nesta direção, a Comissão Nacional e a Comissão Local estão organizando o evento com algumas alterações em relação à forma tradicional dos congressos dos últimos anos. No congresso de 2019 irão ocorrer apenas seis grandes painéis que deverão contar com a participação e contribuição de nomes expressivos do cenário nacional e internacional para debater os temas anteriormente mencionados. Com isso, será destinado um maior tempo para os debates visando atender aos reclamos e sugestões dos associados sobre os grandes painéis.

Para aprofundar os debates por meio de apresentações de trabalhos científicos e de pôsteres, estarão disponíveis no Congresso de 2019 os mesmos 13 (treze) Grupos de Trabalhos (GTs) do Congresso do ano anterior, de tal forma que o espaço de apresentação de trabalhos científicos contenha uma melhor organização temática. E para coroar o ambiente acadêmico e científico do congresso, terão continuidade as Sessões Organizadas (SORGs) e os minicursos, atividades estas que já estão consagradas na programação geral dos congressos anuais.

Esperamos, com isso, poder ampliar a qualidade dos Congressos da SOBER, pois somos uma entidade que vem se transformando numa das maiores referências em termos de debates e proposições sobre o mundo rural brasileiro.

Sejam todos bem-vindos ao 57º Congresso da SOBER!

Lauro Mattei

Presidente da SOBER – Gestão 2017-2019