53º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural: “Agropecuária, Meio Ambiente e Desenvolvimento”53º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural

Grupos de Trabalho

Grupo 1. Comercialização, Mercados e Preços

Coordenador Titular: Adelson Martins Figueiredo (UFSCar/Sorocaba – SP)

Coordenador Adjunto: Eduardo Rodrigues de Castro (UFSCar/Sorocaba - SP)

Este grupo trata das análises de mercado de produtos agropecuários, envolvendo estudos de oferta e demanda e sua interação com custos, renda, preços ao produtor e ao consumidor. São contemplados também estudos que mensuram as estruturas dos mercados agropecuários e examinam os efeitos da falta de concorrência sobre o bem-estar de produtores e de consumidores. Inclui ainda pesquisas relacionadas à mensuração de elasticidades de transmissão de preços e margens de comercialização; análise das formas de comercialização agropecuária, das flutuações nas condições de mercado e de seus impactos sobre oscilações de preços; além do papel dos instrumentos de gerenciamento de riscos, incluindo mercados de futuros e políticas de comercialização.

Palavras-chaves: comercialização; demanda; oferta; distribuição; estruturas de mercado; margens; mercados futuros agropecuários; transmissão de preços.


Grupo 2. Economia e Gestão no Agronegócio

Coordenador Titular: Mamadu Lamarana Bari (UFMT - MT)

Coordenador Adjunto: Arturo Alejandro Zavala Zavala (UFMT - MT)

A orientação básica desta área é para pesquisas sobre as organizações rurais e urbanas que atuam no agronegócio, estruturas e processos organizacionais, estratégias mercadológicas e comportamento do consumidor, gestão do conhecimento, coordenação do processo de interação de agentes e organizações, economia de empresas, finanças empresariais e mecanismos de decisão.

Palavras-chaves: organizações; agronegócio; gestão do conhecimento; economia de empresas; finanças empresariais; comercialização e marketing; coordenação; custos; competitividade; planejamento.


Grupo 3. Comércio Internacional

Coordenador Titular: Daniel Arruda Coronel (UFSM - RS)

Coordenador Adjunto: Reisoli Bender Filho (UFSM - RS)

A importância do comércio internacional para o estudo da economia agrícola tem sido crescente, englobando abordagens de naturezas diversas, seja com base microeconômica, macroeconômica ou de economia política de comércio. Podem ser inseridos neste tópico trabalhos que considerem as peculiaridades do comércio internacional de produtos agrícolas e pecuários no tratamento de aspectos variados, como por exemplo: Impactos da globalização, dos acordos comerciais de âmbito bilateral, regional ou multilateral, de barreiras tarifárias e não tarifárias. Trabalhos sobre os fluxos de capitais estrangeiros, o papel das multinacionais no comércio internacional e nos investimentos diretos estrangeiros; bem como sobre os impactos das políticas cambiais e termos de troca sobre o comércio exterior também podem ser incluídos neste tópico.

Palavras-chaves: comércio exterior; mercados internacionais; competitividade internacional; globalização; blocos econômicos; relações internacionais; política cambial e ajustamento de balanço de pagamentos; barreiras tarifárias e não tarifárias; defesa comercial; negociações internacionais; subsídios.


Grupo 4. Sistemas Agroalimentares e Cadeias Agroindustriais

Coordenador Titular: André Luis Squarize Chagas (FEA/USP – SP)

Coordenador Adjunto: Fábio Matuoka Mizumoto (FGV/EESP – SP)

Sistemas Agroalimentares e Cadeias Agroindustriais é o conjunto de relações institucionais, dadas via encadeamento de operações contratuais e/ou técnicas, comerciais e logísticas, que permite que uma matéria-prima de origem agropecuária seja produzida e transformada, chegando até o consumidor final de forma segura e com qualidade. Os temas estudados neste grupo de pesquisa visam o melhor entendimento da: competitividade dos sistemas e cadeias; caracterização, perfil e estrutura desses arranjos produtivos; estudos de casos na agroindústria; o papel do ambiente tecnológico e o cenário macro que interferem na dinâmica agroindustrial; coordenação de cadeias e contratos entre os elos, impactos da legislação trabalhista e ambiental nas cadeias. Destaca-se também a cadeia produtiva da agroenergia.

Palavras-chaves: Ambiente tecnológico, Arranjos Produtivos Locais, (APL), Competitividade de cadeias, Consumidor, Coordenação de cadeias, Estudo de caso, Logística, Matéria-prima, Qualidade, Transformação industrial, Agroenergia.


Grupo 5. Evolução e Estrutura da Agropecuária no Brasil

Coordenadora Titular: Viviani Silva Lírio (UFV – MG)

Coordenador Adjunto: Adriano Figueiredo (UFMS – MS)

Este grupo analisa a evolução da agropecuária nacional, debatendo os impactos e os efeitos das Políticas Agrícolas e Agrárias e das Políticas Macroeconômicas que levaram à modernização da agricultura nacional. Este processo teve importantes impactos e efeitos em termos de mudança no padrão produtivo, geração de emprego, relações de trabalho, organização e regionalização da produção. Nesse sentido, os textos a serem enviados neste grupo envolvem análises da oferta e demanda agropecuária agregada, do mercado de trabalho rural e agrícola, do mercado de terras, das Políticas Públicas para o setor, da evolução e disponibilidade das fontes de estatísticas rurais e agropecuárias e sobre os métodos e impactos das estatísticas agropecuárias.

Palavras-chaves: modernização da agricultura; mercado de trabalho; oferta agropecuária; demanda agropecuária; política agrícola; reforma agrária; políticas públicas para a agropecuária; tecnologia agropecuária; estrutura agrária; regionalização da produção; estatísticas rurais e agropecuárias.


Grupo 6. Agropecuária, Meio-Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

Coordenador Titular: Cassiano Bragagnolo (UFSCar/Sorocaba - SP)

Coordenador Adjunto: Weslem Faria (UFJF - MG)

Este Grupo de Trabalho contempla a discussão dos impactos da atividade agropecuária sobre os recursos naturais e ambientais, e também sobre o próprio homem. Os principais temas abordados são: desenvolvimento sustentável e políticas governamentais para o meio-ambiente, análise da sustentabilidade da agricultura, pagamento por serviços ambientais, impactos das mudanças climáticas na agricultura, estratégias de conservação dos recursos naturais, agroecologia, impactos dos agrotóxicos, transgênicos, florestas e desmatamento, reflorestamento e seqüestro de carbono, crédito de carbono, e gestão socioambiental. Destaca-se também a cadeia produtiva da agroenergia.

Palavras-chaves:desenvolvimento sustentável; políticas agroambientais; análise da sustentabilidade da agricultura; pagamento por serviços ambientais; impactos das mudanças climáticas; estratégias de conservação de recursos naturais; agroecologia; agrotóxicos; transgênicos; agroenergia; reflorestamento e seqüestro de carbono; gestão socioambiental; gestão de microbacias.


Grupo 7. Agricultura Familiar e Ruralidade

Coordenador Titular: Marco Antônio Verardi Fialho (UFSM – RS)

Coordenador Adjunto: Paulo André Niederle (UFRGS – RS)

Este grupo de pesquisa recebe trabalhos que focalizam os processos de transformação social, econômica e cultural que afetam o espaço rural brasileiro contemporâneo, dando especial atenção aos seus efeitos sobre as formas familiares de trabalho e produção. Focalizam-se aspectos sócio-econômicos, político-culturais, de organização do trabalho, da produção e da gestão. Os temas prioritários a serem considerados são: agricultura familiar e campesinato: aspectos conceituais e teóricos. Agricultura familiar e mudanças sócio-técnicas, como inovação e empreendedorismo. A multifuncionalidade do espaço rural. Os processos de diversificação sócio-econômicos e os sistemas de produção. Estratificação e diferenciação social. A agricultura familiar e os processos de mercantilização social e econômica. As relações dos agricultores familiares com o sistema agroalimentar, os processos de integração e exclusão social. Formas de resistência e estratégias de reação dos agricultores. A inserção dos agricultores nos mercados de produtos e de trabalho. As mudanças no perfil ocupacional dos espaços rurais. O papel da pluriatividade e das atividades não agrícolas na reprodução da agricultura familiar. A agricultura familiar e a questão da sustentabilidade ambiental. Os agricultores familiares e a política: as organizações sindicais, associativas e a relação com o Estado. Os agricultores familiares e as políticas públicas. O grupo privilegiará a seleção de trabalhos que apresentarem dados empíricos analisados segundo as referências bibliográficas e os procedimentos metodológicos disponíveis.

Palavras-chaves: agricultura familiar e campesinato, empreendedorismo, inovação, multifuncionalidade, pluriatividade, diversificação sócio-econômicos, relações contratuais, integração e exclusão, políticas públicas para agricultura familiar, diversificação produtiva.


Grupo 8. Cooperativismo e Associativismo no Meio Rural e nos Agronegócios

Coordenadora Titular: Valéria Gama Fully Bressan (UFMG – MG)

Coordenador Adjunto: Alair Ferreira de Freitas (UFV – MG)

A presente linha enfatiza o conjunto de estudos sobre o cooperativismo e associativismo no desenvolvimento econômico e social no meio rural. Sob esse objetivo geral, ganham destaque os estudos sobre as cooperativas, associações, condomínios, pool de compras e outras formas de ação coletiva nos mercados agrícolas e agroindustriais, o processo de gestão destes empreendimentos, os diferentes tipos de cooperativas (agropecuárias, crédito, produção, dentre outras), o desenvolvimento do cooperativismo e associativismo, a economia das organizações cooperativas e os impactos do cooperativismo no desenvolvimento local, etc.

Palavras-chaves: Cooperativismo, Associativismo, Cooperativas de crédito, Cooperativas agropecuárias, Associações, Governança, Organizações, Redes, Capital social.


Grupo 9. Políticas Sociais para o Campo

Coordenador Titular: Marcelo Marques Magalhães (UNESP/Tupã – SP)

Coordenador Adjunto: Henrique Dantas Neder (UFU – MG)

Este grupo visa debater o processo de constituição e os impactos das políticas de reforma agrária, geração e transferência de renda e a segurança alimentar no campo, discutindo sua efetividade, seus bloqueios, tensões, avanços e perspectivas de desenvolvimento. Deve-se destacar também o papel dos diversos agentes: trabalhadores, sindicatos, associações e movimentos sociais na condução destes processos, assim como a participação ou omissão de diferentes instâncias do poder público. Destaca também a extensão rural como instrumento de política que visa melhoria da qualidade de vida da população rural.

Palavras-chaves: reforma agrária, assentamentos rurais, geração de emprego e renda, segurança alimentar, movimentos sociais, qualidade de vida, redução da pobreza, políticas sociais, organização social.


Grupo 10. Desenvolvimento Rural, Territorial e Regional

Coordenadora Titular: Monaliza Ferreira de Oliveira (UFPE – PE)

Coordenador Adjunto: Joacir Rufino de Aquino (UERN – RN)

O grupo temático em tela identifica-se com o que hoje se denomina -abordagem territorial do processo de desenvolvimento-, entendida como marco teórico e epistemológico específico que surge a partir do esforço no sentido de suplantar as limitações da concepção setorial que, convencionalmente, tem orientado a percepção do espaço onde se desenvolve a produção agropecuária nas sociedades modernas. Sob sua égide, se reconhece os diferentes locus de relações e processos sociais, econômicos, políticos e culturais.

Palavras-chaves: desenvolvimento rural, desenvolvimento territorial, desenvolvimento regional, políticas de desenvolvimento, turismo rural, políticas locais para o campo.


Grupo 11. Extensão Rural

Coordenador Titular: Marcelo Miná Dias (UFV – MG)

Coordenador Adjunto: Pedro Selvino Neumann (UFSM – RS)

O grupo Extensão Rural destina-se a receber contribuições de pesquisadores vinculados às diversas instituições de pesquisa, ensino e extensão que atuem ou tenham como objeto de pesquisa os seguintes temas: assistência técnica e extensão rural; comunicação e educação rural; políticas públicas em extensão rural, modelos institucionais de extensão rural, o ensino e a formação em extensão rural, formação e capacitação de agricultores,  desenvolvimento de comunidades, metodologias participativas de trabalho com agricultores, metodologia de ação extensionista, pluralismo institucional, experiências de desenvolvimento local, a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PNATER); organização dos atores sociais e extensão rural; A Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (ANATER).

Palavras-chaves: extensão rural, comunicação rural, assistência técnica, metodologia participativa, formação de agricultores, ATER, PNATER, ANATER.


Grupo 12. Ensino das Ciências Sociais Aplicadas para as Ciências Agrárias

Coordenador Titular: Roberto Max Protil (UFV – MG)

Coordenadora Adjunta: Luiza Carneiro Mareti Valente (UFF – RJ)

Este grupo de trabalhos pretende discutir o ensino das disciplinas de economia, administração, sociologia, extensão rural e demais disciplinas ligadas ao campo das ciências sociais aplicadas às ciências agrárias, com vistas em debater seus desafios e experiências bem sucedidas. Neste GT podem ser abordados os seguintes temas: formação do professor para o ensino médio e superior dessas disciplinas; papel das ciências sociais na formação do profissional das ciências agrárias; experiências e métodos de aprendizagem vivencial; novas metodologias de ensino presencial e a distância; relato de casos para reflexão e qualificação do ensino; propostas de aprendizagem e desenvolvimento de competências na formação acadêmica; métodos inovadores de avaliação do processo de ensino e aprendizagem; interdisciplinaridade; as ciências sociais nos currículos; a interface das ciências sociais e agrárias; o processo de ensino e aprendizagem para o meio rural.

Palavras-chaves: Aprendizagem vivencial; Currículo, Ensino de ciências sociais aplicadas; Métodos inovadores de ensino e aprendizagem.


Grupo 13. Trabalhos de Iniciação Científica

Coordenador Titular: Ricardo Bruno Nascimento dos Santos (UFPA – PA)

Coordenador Adjunto: Marcelo Lopes de Moraes (UNIOESTE/Fco. Beltrão – PR)

Modalidade de artigo científico encaminhado exclusivamente por pesquisadores juniores, alunos de graduação, devidamente matriculados como tal. Tem por objetivo o incentivo à produção científica de alunos de graduação e será apresentado na forma de pôster em sessões temáticas.

Realização

  •  

    Patrocínio

  •  

    Apoio

  • apoio

    apoio
  •  
    iTarget